Segurança

Uma das áreas da tecnologia que demanda a maior soma de investimentos é a segurança de informação. Cada vez mais as pessoas se tornaram vulneráveis diante da ação de criminosos que ganham fortunas roubando todo tipo de informação que possa se transformar em dinheiro. A segurança é importantíssima, e não apenas no aspecto financeiro. Podemos falar sobre segurança das ideias e até dos sentimentos. Segurança em poder se expor e compartilhar as questões mais íntimas da vida. Segurança em apresentar suas dúvidas e ser absolutamente honesto em suas próprias contradições. “Pessoas precisam de segurança para irem a um nível mais elevado em suas conversas e relacionamentos” – é o que comenta Roberto Quinn em seu livro O Processo da Mudança. Sem segurança os relacionamentos são superficiais, as discussões não se aprofundam e as pessoas não têm coragem para serem honestas. Um dos fundamentos da hipocrisia é exatamente a falta de segurança. Quando as pessoas se sentem inseguras para admitir a sua própria verdade, elas preferem fingir algo que não são, protegidas atrás de um estereótipo que seja aceito com mais facilidade. Quando se sentem inseguras, as pessoas não sustentam suas próprias ideias, mas sim alguma ideia que já saibam ser mais bem aceita pelo grupo. A insegurança cria um ambiente de falsidade que impede o amadurecimento pessoal e coletivo.

Precisamos investir em segurança emocional e intelectual. Criar ambientes onde as pessoas possam ser honestas e saber que suas fraquezas, dúvidas ou erros não serão divulgados sem sua autorização. Um ambiente onde não exista fofoca, maledicência ou uso irresponsável das informações. Um ambiente onde as pessoas não serão ridicularizadas por pensarem de determinada forma nem penalizadas por terem uma opinião diferente da maioria. Mais do que respeito, as pessoas querem segurança para tratar das questões mais íntimas e sérias da vida. Não querem se tornar alvo de brincadeiras de mau gosto nem ser ameaçadas sem motivo. Não querem ser olhadas de uma maneira diferente ou ser objeto de piadas sem graça, ou perceber que seus segredos mais íntimos – e alguns dos quais elas se envergonham – se transformaram em notícia para pessoas com quem elas não nutrem qualquer vínculo de relacionamento.

Somente um ambiente seguro gerará a oportunidade de ajuda real, de troca de experiências, de confissão de erro, de amadurecimento na fé, de tratamento de feridas emocionais, de aprendizado profundo, de troca de ideias, de discussões pautadas na verdade e outras experiências que só são realidade para os que se sentem seguros para se abrir e encontram um ambiente seguro o bastante para lhes proteger dos que falam demais, dos acusadores, dos juízes de plantão, dos maledicentes, dos hipócritas e tantos outros que não merecem qualquer informação a mais do que a trivialidade e superficialidade.

Guilherme de Amorim Ávilla Gimenez

prgimenez@prgimenez.net

www.prgimenez.net