Em cima do muro

Você por certo já ouviu essa expressão: “alguém está em cima do muro.”. Ela indica que alguém está em dúvida, indeciso, nem de um lado do muro nem do outro. Usa-se a frase para pessoas, para empresas e até para partidos políticos. Podemos dizer que de certa forma todas as pessoas ficam em cima do muro em algum momento da vida, afinal a indecisão ou incerteza é uma realidade muito presente em determinadas situações. Não é problema estar em cima do muro ocasionalmente. O problema é viver em cima do muro. É ter um comportamento caracterizado pela indecisão. É ser uma pessoa que em determinado momento tem uma posição acerca de determinado assunto e, segundos depois, tem uma posição totalmente oposta.

De fato a pessoas que vivem dessa forma, são permanentemente indecisos. E a questão não é que estão diante de posições que os deixam em dúvida. O que lhes falta na verdade são certezas. São carentes de determinação e firmeza. São pessoas cujos valores pessoais são tão rasos que lá no fundo elas nem sabem o que ou porque fazem ou deixam de fazer as coisas. E aí a ideia do muro vem bem a calhar. O muro é o limite entre uma ideia ou outra. Entre uma posição ou outra. Entre a lealdade a um ou outro. É o limite do conhecimento, da preferência, da escolha. De cima do muro a pessoa está pronta a ir para qualquer lado, e fará isso de acordo com sua conveniência.

O muro é lugar para os fracos. Para os que não estão dispostos a pagar o preço da sua posição firmada, seja ela qual for. O muro é lugar para os que ainda não aprenderam que “sim ou não” são palavras opostas. Não se pode dize-las ao mesmo tempo. Por isso não se pode agradar a todos, principalmente aqueles que tem posições diferentes.

O muro é um lugar onde muitos querem estar na tentativa de ser amigos de todos. Isso é impossível. O não para aquilo que não aceitamos trará inimizade. E para dize-lo precisamos descer do muro, fincar os pés no chão e tomar a escolha, fazer a opção e declarar nossos valores.

Ficar em cima do muro não é sequer uma opção. Não se deve considerar tal possibilidade. Se subiu no muro é hora de descer, assumir sua posição e declarar o que você pensa e porque pensa. Pode-se mudar de ideia. Pode-se repensar um assunto. O que não se pode é aceitar tudo, perder a sua identidade e ser considerado um indeciso. Desça do muro, você verá como é bom assumir sua posição.

Guilherme de Amorim Ávilla Gimenez

www.prgimenez.net

prgimenez@prgimenez.net